[Minicurso] Pensamento da Desconstrução

O Minicurso de Pensamento da Desconstrução, ministrado pela professora Carla  Rodrigues entre os dias 15 e 17 de junho de 2016, teve como objetivo fazer uma introdução ao pensamento da desconstrução do filósofo franco-argelino Jacques Derrida.

O curso apresentou, inicialmente, a trajetória de Derrida, e a influência que os eventos históricos e de sua vida tiveram em sua obra. A seguir, as principais influências do autor – Heidegger, Freud, Husserl, Nietzsche –, sua busca por tornar-se um “filósofo francês” e o problema da linguagem e seus desdobramentos. Por fim, buscou-se analisar questões políticas históricas e atuais e a dimensão do gênero à luz dos aspectos teóricos e conceituais discutidos nos dois dias anteriores. Dessa forma, o curso, guiado por textos do próprio Derrida e de alguns de seus/suas leitores/as brasileiros/as, apresentou os elementos fundamentais do complexo pensamento derridiano, bem como mostrou como os estudos do filósofo podem auxiliar estudantes de Relações Internacionais a pensar sua realidade.

Para maiores informações, acesse os áudios das aulas aqui.

 


Carla Rodrigues é professora do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFRJ, especializada em ética. É mestre e doutora em Filosofia pela PUC-Rio. Atualmente desenvolve sua pesquisa na filosofia de Jacques Derrida em conjunção com o pensamento de Judith Butler. É autora, entre outros, de "Duas palavras para o feminino - hospitalidade e responsabilidade - sobre ética e política em Jacques Derrida" (NAU/Faperj, 2013) e "Coreografias do feminino" (Editora Mulheres, 2009).

[Minicurso] Discursos e Discursividades em Relações Internacionais 2016.1

Entre os dias 08 a 10 de junho aconteceu o Minicurso ‘Discursos e Discursividades nas Relações Internacionais: indicações metodológicas’ – o primeiro da série de três que o Laboratório de Metodologia está oferecendo neste semestre. O objetivo do minicurso era apresentar aos e às estudantes os elementos centrais da Análise do Discurso, da semiótica e da relação poder/saber/verdade em Michel Foucault, a fim de indicar como essas perspectivas teórico-metodológicas têm sido incorporadas no estudo das Relações Internacionais.
O minicurso foi ministrado pelos professores Thiago Rodrigues (INEST/UFF) e Marco Kalil Filho (INJC/UFRJ), que ao longo das três sessões abordaram as noções introdutórias ao campo da Análise e das Teorias do Discurso, os conceitos de Agonismo e Veridicção em Michel Foucault, e dos Discursos e a disciplina das Relações Internacionais.
Este evento teve como público alunos e alunas da disciplina de Metodologia nas Relações Internacionais do programa de pós-graduação do IRI/PUC-Rio.
Para maiores informações, acesse os áudios das aulas aqui.

 


Thiago Rodrigues é professor no Departamento de Estudos Estratégicos e Relações Internacionais do Instituto de Estudos Estratégicos (INEST) da Universidade Federal Fluminense (UFF). É Coordenador do projeto “Narcotráfico e militarização no entorno estratégico nacional: lições para o Brasil”, financiado pelo Ministério da Defesa (Instituto Pandiá Calógeras) e CNPq. Atua principalmente os seguintes temas: narcotráfico, teoria das relações internacionais, novos conflitos internacionais, segurança internacional, relações internacionais da América Latina. Mestre e Doutor em Relações Internacionais pela PUC-SP.
Marco Kalil Filho é professor substituto do Instituto de Nutrição Josué Castro (INCJ) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre e doutorando em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Possui experiência nas áreas de Direitos Humanos, Direito Penal, Direito Constitucional, Criminologia, Estudos da Linguagem. Linguística, Semiótica, Comunicação Social, Mídia e Tecnologia, Política Interna e Política Externa.

[Workshop] Objectivity and Diversity: What Research and for Whom? 2016.1

O Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro realizou no dia 23 de maio o primeiro workshop, iniciando, assim, seu ciclo de eventos para o ano de 2016. Na ocasião, tivemos a presença da professora Sandra Hardingpara debater o papel da pesquisa científica e da objetividade, incluídos no seu mais recente livro, intitulado “Objectivity and Diversity: what research and for whom?”.

Na ocasião a professora expus parte do seu trabalho em torno das diferentes epistemologias com as quais ela trabalha, e das perspectivas pós-coloniais e feministas sobre a filosofia da ciência e da tecnologia.

 

Os participantes também se engajaram na discusão e levantaram perguntas e críticas sobre a questão da diversidade nas metodologias de pesquisa, da legitimidade dos dados e a contingencia dos sistemas de valores embuídos na política da ciência.

Para maiores informações, acesse o áudio do workshop aqui.


 A professora Harding é doutora em Filosofia pela NYU. Atualmente é Distinguished Research Professor of Education and Gender Studies na Universidade da California, Los Angeles. É uma das fundadoras da chamada “Epistemologia Feminista” e tem aportado ao desenvolvimento da Teoria do Ponto de Vista (Standpoint Theory), assim como aos estudos da ciência, da tecnologia e de gênero. Harding foi co-editora do periódico Signs: Journal of Women in Culture and Society (2000-2005). Em 2013, ela recebeu o John Desmond Bernal Award da Society for the Social Studies of Science (4S) por contribuições excepcionais à área. O mesmo prêmio já foi recebido por Thomas Kuhn, Robert Merton, Joseph Needham e Mary Douglas. Harding já ofereceu consultoria em diversas organizações, incluindo Pan American Health Organization, UNESCO, U.N. Development Fund for Women e U.N. Commission on Science and Technology for Development.